Respiração e outros tópicos

Enviado por Estante Virtual em seg, 12/16/2013 - 01:14
As posturas do corpo acima recomendadas não só facilitam, mas pode-se dizer mesmo induzem, uma ampla respiração abdominal, como a que é praticada por cantores bem treinados. Há uma conexão íntima entre meditação profunda e meditação. George Fox, o Quaker1  e alguns dos Quietistas2 alegam ter recebido o dom da respiração interna. Isso é encontrado na prática real, pois à medida que o corpo se harmoniza na meditação a respiração se torna mais profunda, regular e rítmica, até um grau em que se torna tão lenta e plácida que quase deixa de ser perceptível. 
 
Este efeito tem sido notado, e o processo é inverso no Hatha Yoga, onde por deliberada regulação da respiração busca-se harmonizar as funções do corpo e, finalmente, os trabalhos da mente. Mas o estudante deveria se precaver contra a prática indiscriminada de exercícios respiratórios apregoada em toda a literatura ocidental sobre Yoga. Para começar, é sempre mais perigoso em cultura física trabalhar de baixo para cima; fazer travessuras com o corpo físico antes que levar no coração o profundo preceito da Voz do Silêncio: 'A Mente é a grande Assassina do real. Que o Discípulo mate a Assassina'. O estudante será mais prudente se aprender a controlar o pensamento ao longo das linhas do Raja Yoga, deixando que seus esforços na meditação façam seu efeito natural no desenvolvimento de seu corpo físico e na modelação de seus órgãos psíquicos. Além disso, o que pode ser praticado impunemente em um corpo oriental nem sempre com a mesma adequação pode ser tentado em um corpo ocidental; e alguns desses exercícios são excessivamente perigosos e acarretam conseqüências desastrosas. Pode ser dito de passagem que não há nenhuma objeção à simples respiração profunda, desde que nenhuma constrição indevida seja feita sobre o coração ou pulmões e nenhuma tentativa seja feita de concentrar o pensamento nos vários centros do corpo. 
 
O estudante pode achar útil queimar um pouco de bom incenso, pois isso purifica a atmosfera de um ponto de vista oculto: ele pode mesmo ser auxiliado por belas cores e imagens em torno, flores e outros meios de elevar a mente e os sentidos. 
 
Será também de utilidade observar certas restrições dietéticas, indo mesmo à completa abstinência de álcool e carne. O consumo de álcool conjuntamente à prática de intensa meditação pode ocasionar sintomas inflamatórios no cérebro; mas a questão é integralmente discutida na literatura Teosófica. (Vide O Homem e Seus Corpos, de Annie Besant, e Alguns Vislumbres do Ocultismo, de C. W. Leadbeater, capítulo X).
 

  1. Os Quakers formam uma seita religiosa fundada na Inglaterra em 1647 por George Fox, caracterizada por sua simplicidade e severidade de costumes. Excluem o cerimonial, o clero e o culto exterior, e consideram a si mesmos templos do Espírito Santo. - N. do Trad. Fonte: Glossário Teosófico, H.P.Blavatsky
  2. O Quietismo é uma seita religiosa fundada pelo sacerdote espanhol Miguel de Molinos, e que pregava que a única prática religiosa possível era a contemplação. - N. do Trad. Fonte: Glossário Teosófico, H.P.Blavatsky