Introdução aos Sete Raios

Enviado por Mauricio em sab, 02/27/2016 - 19:04
Os sete Raios - Arco-íris

Pessoas interessadas em esoterismo normalmente já escutaram o termo "Sete Raios", mas a quantidade de informação disponível torna difícil entender o que eles representam. Tentem o Google, por exemplo. Uma busca simples retorna meio milhão de resultados, e já na primeira página eles discordam em relação a cores, significados, na definição básica do que são os "Sete Raios".

Quando falamos na obra de Alice Bailey, entender o que eles representam é uma tarefa fundamental. Portanto, sem entrar no mérito de "qual definição é correta", vou me ater nesta sequência de posts ao que Djwal Khull nos diz, com uma ou outra "escapada" para a obra de Blavatsky. E, na medida do possível, a linguagem usada vai ser objetiva e simples, ainda que isso signifique reduzir a profundidade dos conceitos em favor da facilidade de compreensão. Dessa forma teremos uma "linguagem comum" para explorar outros tópicos.

Então... Mãos à obra!

(Nota: meus livros em português ficaram quase todos no Brasil - atualmente resido na Bélgica - , então todas as referências de páginas são da versão inglesa, e os textos citados são traduções livres. Se as referências não baterem com o texto em português, procurem nas páginas "em torno" das referências, ou consultem a versão em inglês.)

Acho útil começar com a definição mais simples (embora ampla) possível para o assunto. DK nos diz em "Psicologia Esotérica" que

"Há Uma Vida, que Se expressa primariamente através de sete qualidades ou aspectos básicos, e em segundo lugar através da diversidade das formas." EP I 141

"Um raio é apenas um nome para uma força em particular ou tipo de energia, com ênfase na qualidade que essa força exibe e não no aspecto da forma que ela cria. Esta é a verdadeira definição de um raio." EP I 315-6

E Blavatsky, na "Doutrina Secreta", escreve:

"Da mesma forma que existem sete Dhâtu (principais substâncias no corpo humano), existem sete Forças no Homem e em toda Natureza." SD I 289-290

Podemos portanto entendê-los como as sete "forças primordiais" que emanam da Vida Única. De uma maneira extremamente simplista, o espectro total de energias possíveis (das quais o mundo físico é apenas parte) apresenta qualidades "pertencentes" a um dos raios. Eles são a energia fundamental da qual todas as formas são constituídas.

Nas palavras de Djwall Khull:

"Eles são portanto a soma total de todas as almas no sistema solar, e Sua atividade produz todas as formas." EP 59

Essas energias são apropriadas e modificadas em diversos níveis até chegar a nós. E em nós, elas se desdobram em todo tipo de efeito: a forma como nosso corpo é constituído, nossas emoções, nossos pensamentos, nossa alma.

De acordo com o texto de Psicologia Esotérica (página 85), a fonte da energia dos sete raios em nosso sistema solar são as estrelas da constelação Ursa Maior. Elas são então expressas por sete Logoi através dos planetas sagrados (Mercúrio, Vênus, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno, e Vulcan, ainda não descoberto), mas somos afetados pelas energias dos raios expressas também pelas constelações do zodíaco.

Pense em uma usina hidrelétrica: a energia mecânica captada pelas turbinas é transformada em energia elétrica, mas se ligássemos uma torradeira direto nessa "tomada" ela certamente queimaria. Apenas depois de "apropriada" e "transformada" por diversos sistemas podemos utilizá-la em nossas casas. Em essência a energia de nossa tomada é a mesma gerada pela turbina, mas ela possui características (voltagem e intensidade, por exemplo) diferentes. E mais que isso: a soma da energia elétrica gerada, mais a energia perdida (calor, som, etc), correspondem à energia mecânica captada nas turbinas - mas são expressões diferentes dessa energia. 

Em nossa analogia, o conceito de "energia" se divide em alguns tipos (calor, mecânica, elétrica), que se expressam de formas variadas (voltagem, intensidade, temperatura). Assim ocorre com a força primordial, que se divide em sete "qualidades" diferentes e se expressa de inúmeras formas.

Para entender quais são essas "qualidades" costumamos atribuir-lhes algumas palavras-chave e cores. Como exercício, vejam a lista a seguir e tentem identificar quais dessas palavras se aproximam do seu jeito de pensar, de seus interesses, valores, sentimentos... Essa autoanálise será útil mais à frente, quando falarmos de como identificar os raios que "regem" nossos corpos de expressão:

1° Raio: (vermelho) Poder e Vontade
2° Raio: (azul) Amor e Sabedoria
3° Raio: (verde) Atividade Inteligente
4° Raio: (amarelo) Harmonia Através do Conflito
5° Raio: (índigo) Ciência e Conhecimento Concreto
6° Raio: (rosa prateado) Devoção e Idealismo
7° Raio: (violeta) Ordem e Magia Cerimonial

Ao longo dos próximos posts, vamos continuar nossa análise dos Sete Raios falando sobre os raios "maiores" e "menores", os raios abstratos e os referentes à forma, e finalmente vamos discutir detalhes de cada um deles.

Após isso, poderemos falar sobre a manifestação dos Raios em nosso sistema solar, e sobre os Raios que regem nossos diferentes corpos de expressão - nesse ponto, teremos chegado a um marco importante, e iremos dispor de algumas ferramentas para entender melhor nossa real condição nesta vida e como podemos avançar em direção a meta escolhida para essa encarnação.

Portanto fique alerta às atualizações! Os posts dessa série serão publicados com intervalos de dois a três dias. A maneira mais fácil de ser notificado é seguir nossa página no facebook, e se registrar aqui no site.

E para quem deseja se aprofundar no assunto, recomendo fortemente a leitura dos livros "Psicologia Esotérica" e "Astrologia Esotérica", de Alice Bailey. Eles podem ser lidos de graça em inglês no site da Lucis Trust.