Primeiros Passos

Enviado por Estante Virtual em seg, 12/16/2013 - 00:34
O primeiro passo na meditação consiste em cultivar o pensamento, até que se torne habitual, de que o corpo físico é um instrumento do espírito. Os que recém tomaram conhecimento do pensamento teosófico acham no começo difícil de reverter seus pontos de vista; para eles a alma e o espírito são irreais. Os planos e corpos, dos quais os escritores Teosóficos falam em suas tentativas de transmitir com clareza e precisão científica um pequeno vislumbre dos mistérios do ser humano, são memorizados em termos de algum diagrama, sendo cada nome evocado com um esforço da memória. O corpo físico é a única realidade tangível e o corpo supra-físico uma evanescente e vaga, mera concepção intelectual. Mas gradualmente e quase imperceptivelmente este sentimento é abandonado; um sentimento de percepção do supra-físico começa a agir no cérebro físico e a dar vida ao que antes era uma simples teoria intelectual. A razão para isso não precisa ser procurada longe. Ler livros Teosóficos é pôr-se em contato com forças poderosamente estimulantes no mundo dos arquétipos mentais; ler sobre os corpos superiores tende, por direcionarmos a atenção para aqueles corpos, a despertar a autoconsciência neles. Interesse e estudo do plano astral e do corpo astral gradualmente despertam o estudante naquele plano durante o sono físico. A estimulação dos corpos superiores à maior atividade também é auxiliada ao estarmos dentro da aura de pessoas supra-fisicamente desenvolvidas. Como um resultado natural esta expansão da natureza interna começa a modificar a consciência desperta, o conhecimento do Homem Superior lentamente se filtra para dentro do cérebro físico, e o estudante verá seu panorama da vida sofrendo grande mudança. Uma expansão da consciência se torna perceptível, novos horizontes de pensamento e sentimento se abrem diante de si, seu ambiente na vida assume um novo significado à medida que desperta para eles, e as verdades da Teosofia começam a passar da teoria intelectual para a experiência espiritual. Tal é, brevemente falando, a razão física para a gradual expansão da consciência, que acompanha as primeiras experiências da maior parte dos Teosofistas que são realmente sérios; e podemos, de passagem, arriscar a idéia de que os três anos que devem transcorrer antes que um estudante se torne admissível à Escola Esotérica são prescritos não só para que sua perseverança na Teosofia possa ser testada, mas também que esse tempo possa ser concedido para essa mudança nos corpos supra-físicos, pela qual ele poderá intuitivamente vir a sentir-se como o Homem Superior usando um instrumento físico. 
 
Agora esse processo e esse despertar podem ser materialmente estimulados. 'Ajude a Natureza', diz A Voz do Silêncio, 'e trabalhe com ela; e a Natureza o verá como um de seus criadores e lhe será obediente'. Um moderno escritor científico parafraseou a mesma verdade nas palavras 'a Natureza é conquistada pela obediência'; temos apenas que entender as leis da Natureza, e então, corretamente selecionadas e aplicadas, elas se tornarão nossos servidores obedientes. Isso que ocorre lugar lenta e gradualmente no decurso comum do tempo pode ser acelerado com um esforço inteligente e bem direcionado. Por isso o primeiro exercício do estudante em meditação pode apropriadamente ter em vista esta sua aspiração de perceber conscientemente o Homem Superior. 
 
A prática a seguir é uma que o presente autor utilizou com bons resultados, até que não houve mais necessidade de continuá-la. 
 

Outras páginas interessantes: