Meditação sobre simpatia

Enviado por Estante Virtual em seg, 12/16/2013 - 00:40
Reflita que como todas as outras virtudes esta é um atributo da Consciência Divina; tente entender sua natureza e função no mundo; considere-a como um poder unificante ligando um eu particular a outro. Compare-a com o amor: simpatia implica entendimento do outro e o poder de colocarmo-nos em seu lugar; amor não necessita implicar esse entendimento; por outro lado para sua completa expressão a simpatia requer um forte poder de motivação interna que só o amor pode conceder. Imagine a divina simpatia como se fluindo para o mundo através do homem ideal: o Cristo ou o Mestre; e então como se dirigida para alguém particular. 
 
O estudante deveria então com uma forte aspiração ativa mergulhar a si mesmo na corrente desta influência inefável que se irradia do Mestre, e procurar atingir o objeto de sua devoção. (Aqui o estágio da contemplação pode ser atingido). Ele deveria então pensar nessa virtude aplicada à sua vida cotidiana, aos seus amigos e pessoas amadas e mesmo àqueles com quem haja necessidade de um melhor entendimento; imagine-os um por um perante Ele e os envolva com a influência que está se derramando através dEle. Uma outra e mais elaborada meditação pode ser dada para o benefício daqueles que são incapazes de permanecer por qualquer período em um único pensamento. 
 

Outras páginas interessantes: