Introdução

Enviado por Estante Virtual em seg, 12/16/2013 - 00:26
Recolha-se para dentro de você mesmo e olhe. E se você ainda não se achar belo, faça como o criador de uma estátua que deve tornar-se bela; ele desbasta aqui, suaviza ali, torna este contorno mais delicado, aquele outro mais puro, até que ele revele um rosto formoso na estátua. Faça o mesmo; remova tudo o que é excessivo, endireite tudo o que estiver torto, leve luz a tudo o que o que for sombrio, trabalhe para fazer tudo incandescente de beleza, e não pare de cinzelar sua estátua até que de lá brilhe sobre você o divinal esplendor da virtude, até que você possa ver a bondade final firmemente instalada no sacrário imaculado.
 
Plotino, sobre o Belo
(Tradução a partir da versão inglesa de Stephen MacKenna) 
 

Outras páginas interessantes: