A Teosofia não é o Buddhismo

Enviado por Estante Virtual em dom, 12/02/2012 - 03:28

P: Freqüentemente vocês são considerados como "Buddhistas Esotéricos". Vocês são discípulos de Gautama Buddha?

T: Não, pois isto equivaleria a dizer que todos os músicos são discípulos de Wagner. Alguns, entre nós, .pertencem à religião Buddhista; e, sem dúvida, contamos entre nós com muito mais hindus e brâmanes que buddhistas, e mais cristãos (europeus e americanos), que buddhistas convertidos.

Esse erro nasceu da má interpretação do verdadeiro sentido do título da excelente obra de Sinnett, O Buddhismo Esotérico, onde deveria ter sido escrita a palavra Buddhismo com um só d ao invés de dois, porque nesse caso esta palavra teria expressado a idéia do autor, ou seja: Sabedoria (Bodha, bodhi, "inteligência", "sabedoria"), ao invés de Buddhismo, que significa a filosofia religiosa de Buddha, o Gautama. A Teosofia, como já se disse, é a religião da Sabedoria.

 

P: Que diferença existe entre o Buddhismo — a religião fundada pelo príncipe de Kapilawastu — e o Budhismo ou "Sabedoria", que está sendo mostrado como sinônimo de Teosofia?

T: Exatamente a que existe entre o ritualismo e a teologia dogmática das Igrejas e seitas, e os ensinamentos secretos do Cristo, que se chamaram "os mistérios do Reino dos Céus". Buddha significa o "Iluminado" por Bodha ou conhecimento, Sabedoria. Esta se arraigou e difundiu nas doutrinas esotéricas que Gautama ensinou somente aos seus Arhats escolhidos.

 

P: Sem dúvida, alguns orientalistas negam que Gautama tenha ensinado jamais qualquer doutrina esotérica.

T: Também podem negar que a natureza possua segredos ignorados pelos homens da ciência. Provarei mais adiante pela conversação de Buddha com seu discípulo Ananda. Suas doutrinas esotéricas eram simplesmente a Gupta Vidya (ciência ou conhecimento secreto) dos antigos brâmanes, cuja chave seus modernos sucessores perderam por completo, com raras exceções; e essa Vidya passou ao domínio do que se conhece agora como doutrina interior (secreta) da escola Mahayana do Buddhismo do Norte. Os que o negam são simples pretendentes, ignorantes do Orientalismo. Aconselho que se leia o Buddhismo Chinês do reverendo Edkins, especialmente os capítulos referentes às escolas e ensinamentos exotéricos e esotéricos, e comparar então o testemunho de todo o mundo antigo sobre esse particular.

 

P: Mas a ética da Teosofia não é semelhante à que ensinou Buddha?

T: Certamente, porque aquela ética é a alma da religião da Sabedoria, e foi em outros tempos propriedade comum dos iniciados de todas as nações. Mas Buddha foi o primeiro a fundir essa ética sublime com seus ensinamentos públicos, e a fazer dela a base e a essência de seu sistema público. Nisto consiste a imensa diferença que existe entre o Buddhismo exotérico e as demais religiões. Porque, enquanto em algumas delas o ritualismo e o dogma ocupam o primeiro e mais importante lugar, a ética sempre foi o principal no Buddhismo.

Isto explica a semelhança - - quase a identidade - - que existe entre a ética da Teosofia e a da religião de Buddha.

 

P: Existem alguns graus importantes de diferença?

T: Existe uma notável diferença entre a Teosofia e o Buddhismo exotérico, este último representado pela Igreja do Sul, que nega por completo: a) a existência de qualquer Divindade, e b) uma vida consciente post-mortem, e até uma individualidade consciente que sobreviva ao homem. Esta é, ao menos, a dou trina da Seita Siamesa, hoje considerada como a forma mais pura do Buddhismo exotérico. Assim é, na verdade, se nos referimos unicamente aos ensinamentos públicos de Buddha, e mais adiante darei o motivo desta reticência da sua parte. Mas as escolas da Igreja Buddhista do Norte, estabelecidas naqueles países de onde se retiraram os Arhats iniciados depois da morte do Mestre, ensinam tudo o que se conhece hoje em dia com o nome de Doutrinas Teosóficas, porque são parte da ciência dos iniciados, provando assim como foi sacrificada a verdade em altares de letra morta, pela ortodoxia demasiado zelosa do Buddhismo do Sul. No entanto, quão mais sublimes, mais nobres, mais filosóficos e científicos — mesmo em sua letra morta — são sem dúvida seus ensinamentos, se forem comparados com os de qualquer outra religião ou Igreja! Mas, sem dúvida, a Teosofia não é o Buddhismo.

Outras páginas interessantes: