Charles Webster Leadbeater

Charles Webster LeadbeaterCharles Webster Leadbeater (16/02/1854 – 01/03/1934) foi um membro influente da Sociedade Teosófica, autor ocultista e co-fundador, com J. I. Wedgwood, da Igreja Liberal Católica. Originalmente um clérigo da Igreja da Inglaterra, seu interesse no espiritualismo fez com que ele se desligasse da Igreja da Inglaterra em favor da Sociedade Teosófica, onde trabalhou com Annie Besant. Se tornou muito influente na S.T., mas afastou-se em 1906, após acusações envolvendo escândalos sexuais com seus alunos. Após investigações que colocaram em dúvida a legitimidade das acusações, e com auxílio de Annie Besant, voltou para a S.T. alguns anos depois, e embora rumores sobre esse assunto tenham se mantido durante toda sua carreira, seu talento como um prolífico autor ocultista mantiveram Leadbeater uma presença importante na Teosofia até sua morte em 1934.

Leadbeater é sem dúvida uma figura controversa, e seu trabalho na Sociedade Teosófica divide opiniões. É considerado por muitos como um dos expoentes da ST, tendo escrito dezenas de livros e dedicado muitos anos à pesquisa e ao trabalho pela humanidade. Mas existem também aqueles que o consideram, junto com Annie Besant, como alguém que se distanciou dos princípios e ensianamentos de Blavatsky, e que toda sua obra pode no máximo ser considerada uma "neo-teosofia".

Certamente ele possui opiniões diversas de Blavatsky, e escreveu textos que hoje são vistos como comprovadamente inverídicos. Um exemplo marcante é a descrição dos habitantes de Marte, seu governo, educação e outros detalhes da sociedade marciana, que chegam ao gosto por flores, alegadamente abundantes no planeta. Por outro lado, muitas das afirmações de Leadbeater sobre outros assuntos foram feitas por outros pesquisadores e escritores consagrados. Acredito que a postura mais adequada para os leitores atuais é cautela, e pensamento crítico. Certamente muito pode ser apreendido de suas obras, cabe a nós apenas não aceitar indiscriminadamente qualquer coisa escrita.

 

Juventude

Leadbeater nasceeu em Stockport, Cheshire, em 1854. Seu pai (Charles) nasceu em Lincoln e sua mãe (Emma) em Liverpool. Registros públicos indicam que ele foi filho único. Em 1861 sua família mudou-se para Londres. Seu pai morreu de tuberculose em 1862, e quatro anos depois o banco onde a família tinha investido seu dinheiro faliu. Com isso, sem dinheiro para uma faculdade, Leadbeater começou a trabalhar após o colegial para sustentar a si mesmo e sua mãe. Auto-didata, estudou astronomia, francês, latin, grego e outros assuntos por conta própria. 

Por influência de seu tio, William Wolfe Capes, Leadbeater foi ordenado padre Anglicano em 1879 em Farnham pelo Bispo de Winchester. Ele foi um ministro e professor bastante ativo, lembrado depois como "um homem brilhante e de bom coração". Nesta época, após ler sobre o médium Daniel Douglas Home, Leadbeater desenvolveu um grande interesse no espiritualismo.

 

Sociedade Teosófica

Seu interesse no ocultismo foi estimulado pela obra "Occult World" de A. P. Sinnet, e ele uniu-se à Sociedade Teosófica em 1883. No ano seguinte encontrou Helena Petrovna Blavatsky, quando esta mudou-se para Londres. Ela aceitou-o como discípulo, e Leadbeater tornou-se vegetariano.

Inspirado para ir à Índia, chegou em Adyar em 1884. Ele escreveu que enquanto estava na Índia, recebeu visitas e treinamento de alguns dos "Mestres" que de acordo com Blavatsky eram a inspiração por trás da formação da Sociedade Teosófica, e eram seus guias. Esse foi o começo de uma longa carreira dentro da Sociedade Teosófica.

 

Diretor no Ceilão

Durante 1885, Leadbeater viajou com Henry Steel Olcott, primeiro presidente da Sociedade Teosófica, para Burma e Ceilão (hoje Sri Lanka). No Ceilão eles fundaram a Academia Inglesa de Budismo, e Leadbeater ficou lá trabalhando como diretor, sob condições extremamente áusteras. Esta escola gradualmente se expandiu até tornar-se o Colégio Ananda, que tem agora mais de 6000 estudantes e possui um prédio nomeado em homenagem a Leadbeater.

 

Retorno para a Inglaterra

Em 1889, Sinnet pediu que Leadbeater retornasse à Inglaterra como tutor de seu filho e George Arundale. Ele concordou e trouxe com ele um de seus pupilos, Curuppumullage Jinarajadasa. Embora com problemas financeiros, Leadbeater conseguiu mandar tanto Arundale como Jinarajadasa para a Universidade de Cambridge. Ambos serviram eventualmente como Presidentes Internacionais da Sociedade Teosófica. Jinarajadasa contou como Leadbeater já tinha feito algumas investigações ocultistas, e em 1894 fez sua primeira leitura de vidas passadas. Tornou-se um dos oradores mais conhecidos da Sociedade Teosófica por vários anos e também foi Secretário da Loja de Londres.

 

Acusação de pederastia

Em 1906 Leadbeater foi acusado de ter encorajado adolescentes colocados sob sua instrução a se masturbarem. Buscando evitar problemas para a Sociedade Teosófica, devido a grande intolerância sobre o assunto na época, Leadbeater abriu mão de seu cargo.

Leadbeater tinha uma visão do corpo humano incompatível com sua época. Considerando que era esperado dos iniciados da Sociedade Teosófica, incluindo ele mesmo, que se mantivessem castos e não tivessem relacionamentos sexuais, Leadbeater buscava tratar do assunto da masturbação como uma forma de descarregar a tensão sexual que naturalmente existiria em adolescentes, evitando assim que eles buscassem isso com prostitutas ou entre si, gerando situações consideradas karmicamente mais complicadas. Porém o tratamento natural e aberto dado ao assunto era completamente oposto à posição da época, e incompatível até mesmo com o pensamento de Annie Besant e outros membros da S.T.. A intolerância ao assunto chegou a gerar inúmeros estudos sobre os males físicos e morais do "auto abuso", secundados pelo clero, e vários tratamentos para esse comportamento foram desenvolvidos.

Nenhuma das acusações resultou em algum processo ou julgamento, porém após a ressalva de um juiz no caso da guarda de Krishnamurti e seu irmão Nityananda dizendo que Leadbeater possuia idéias imorais, Annie Besant escreveu uma carta de apoio à Leadbeater descrevendo os fatos a respeito desses acontecimentos.

 

Readmissão na Sociedade Teosófica

Após a morte de Olcott em fevereiro de 1907, Annie Besant, após um conflito político, se tornou presidente da sociedade. No final de 1908, as seções internacionais votaram pela readmissão de Leadbeater. Ele aceitou e foi para Adyar em 10 de fevereiro de 1909

 

A descoberta de Krishnamurti

Em 1909 Leadbeater "descobriu" o então com 14 anos Jiddu Krishnamurti em Adyar. Leadbeater acreditava que Krishnamurti era o "receptáculo" para o então chamado Instrutor do Mundo, cujo surgimento iminente ele e muitos teosofistas estavam aguardando. Como Moisés, Siddhārtha Gautama, Zarathustra, Jesus, e Muhammad ibn ‘Abdullāh, o novo instrutor divulgaria uma nova religião.

Leadbeater atribuiu o pseudonimo de Alcyone a Krishnamurti, e sob o título "Rents in the Veil of Time", ele publicou 30 das últimas vidas de "Alcyone" em uma série na revista The Theosophist, começando em abril de 1910. Estas vidas abrangeriam um período de 22662 AC até 624 DC, sendo que Alcyone teria sido mulher em 11 delas.

Leadbeater permaneceu na Índia até 1915, supervisionando a educação de Krishnamurti, e mudou-se então para a Austrália. 

Em 1929, Krishnamurti declarou-se independente da Sociedade Teosófica e dissolveu a Ordem da Estrela, organizada em torno do "Instrutor Mundial" que esperavam que Krishnamurti se tornasse. Durante as 6 décadas seguintes, Krishnamurti se tornou um orador influente em vários assuntos religiosos e filosóficos.

 

Austrália e "A Ciência dos Sacramentos"

Leadbeater mudou-se para Sydney em 1915. Foi responsável pela construção em 1924 do Anfiteatro da Estrela, em Balmoral Beach. A obra, que custou cerca de 10000 libras e foi demolida em 1951 seria usada como um templo para os ensinamentos do Instrutor Mundial. Enquanto estava na Austrália se tornou próximo de J. I. Wedgwood, um teosofista e bispo da Igreja Católica Liberal que o iniciou na Maçonaria em 1915 e em 1916 o consagrou como bispo da Igreja Católica Liberal.

O interesse público na teosofia aumentou grandemente na Austrália e Nova Zelândia graças a presença de Leadbeater, e Sydney tornou-se comparável a Adyar como um centro da atividade teosófica.

Em 1922, a Sociedade Teosófica começou a alugar uma mansão conhecida como "O Solar" em Mosman, Sydney. Leadbeater passou a residir lá, como diretor de uma comunidade de teosofistas. O Solar tornou-se um local bastante importante e reconhecido como "a maior das casas das forças do oculto". Ali ele aceitou estudantes femininas, incluindo Clara Codd, futura presidente da Sociedade Teosófica na América, a clarividente Dora van Gelder, outra futura presidente da Sociedade Teosófica na América que durante a década de 1970 também trabalhou com Dolores Krieger para desenvolver a técnica do toque terapeutico, e Mary Lutyens, que mais tarde escreveu uma biografia autorizada de Krishnamurti. A Sociedade Teosófica comprou O Solar (The Manor) em 1925, e durante 1951 criou a "The Manor Foundation Ltd", para administrar a casa, que ainda é utilizada pela S.T.

Foi também durante sua permanência na Austrália que Leadbeater tornou-se "Presiding Bishop of the Liberal Catholic Church" e foi co-autor do livro de liturgia dessa denominação, ainda em uso hoje. Esse trabalho representa a revisão da liturgia Católica Romana de seu tempo, da qual Leadbeater removeu o que considerava elementos indesejáveis, por exemplo o que ele via como um blatante antropomorfismo e expressões de medo e da ira de Deus. Ele escreveu que se os cristãos tivessem se contentado com o que Cristo ensinou sobre o Pai no paraíso, eles nunca se veriam envolvidos com todas as histórias de inveja, ira e derramamento de sangue de Ezra, Nehemiah e de outros - um deus a cuja misericórdia constantes apelos devem ser feitos.

Dessa forma, o credo da Liturgia da Igreja Liberal Católica escrito por Leadbeater diz:

"Nós acreditamos que Deus é Amor e Poder e Verdade e Luz; que perfeita justiça rege o mundo; que todos os Seus filhos devem um dia alcançar Seus Pés, não importando o quanto dele se afastem. Nós sustentamos a Paternidade de Deus, a Irmandade dos homens; nós sabemos que servimos a Ele melhor quando melhor servimos a nossos irmãos. Que Suas bençãos se derramem sobre nós, e paz para sempre. Amen."

Anteriormente Leadbeater investigara as energias dos sacramentos cristãos e escreveu "A Ciência dos Sacramentos: Um estudo clarividente e ocultista da Eucaristia cristã", um dos mais significantes trabalhos do esoterismo cristão. Em seu prólogo para a última edição deste livro, John Kersey refere-se a eucaristia proposta por Leadbeater como "uma reinterpretação radical do contexto da eucaristia visto a partir de um ponto de vista teológico de magia esotérica e salvação universal; é o Catolicismo expressando o amor de Deus em sua totalidade sem o peso da desnecessária culpa e do medo, e do falso totem dos poderes temporais da Igreja"